Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2021

'Rosa Tirana', de Rógério Sagui, por Marcelo Ikeda

Imagem
Depois do cinema experimental de ORÁCULO, realizado entre Berlim e Floripa, a Mostra Aurora propõe uma guinada, até certo ponto surpreendente, com a exibição de ROSA TIRANA , realizado na caatinga de Poções, Sudoeste da Bahia. Surpreendente porque ROSA TIRANA é um filme de narrativa mais linear, com elementos típicos do cinema nordestino, associados a uma cultura regionalista e sertaneja, por meio da história de uma menina que tenta escapar da seca e caminha pelo sertão em busca de Nossa Senhora Imaculada. Foto: Divulgação É curioso perceber as semelhanças e diferenças entre AÇUCENA e ROSA TIRANA, dois filmes realizados no interior da Bahia por diretores estreantes, novatos no circuito de grife dos festivais brasileiros de autor. Enquanto AÇUCENA mostra domínio dos recursos mais típicos do cinema contemporâneo, em especial a indistinção entre ficção e documentário, tendo participado de laboratórios internacionais, com recursos da Ancine e agradecimentos a curadores importantes no cenár

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

Imagem
Nêgo Jhá é uma banda do interior da Bahia, da cidade de Iguaí, situada no Centro Sul do estado, criada em janeiro de 2018, por Guilherme Santana e Gabriel Almeida, através de u ma simples brincadeira entre amigos, que resultou em um trabalho profissional.  A banda já contabiliza mais de 30 milhões de visualizações no YouTube com suas músicas, entre elas, destaca-se “Cabaré”, música de trabalho gravada por artistas famosos, que compartilharam vídeos, que viralizaram na internet, ouvindo e dançando o hit do momento em todo o Brasil. Até no BBB21 da Rede Globo já tocou a música dos garotos. Foto: Divulgação Confira abaixo a entrevista com os integrantes da Nego Jhá: Cacau Novaes - Como surgiu a ideia de criar Nego Jhá? Como tudo começou?  Nego Jhá -  Através de uma brincadeira entre mim, Guilherme, e meu amigo Gabriel, que toca teclado.  No início não tínhamos em mente de que isso se tornaria algo profissional, pensamos apenas em gravar por diversão e resenha. Cacau Novaes -  É uma dupl

Portuário Atelier Editoral lança livros em live nesta quinta (21)

Imagem
Depois de um 2020 de desafios e ressignificações, o novo ano nos traz esperança para regeneração dos sonhos. Inaugurando os lançamentos de 2021 com renovação e poesias colhidas em cais trans-nacional, africano e americano, a Portuário Atelier Editorial convida todes para a nossa primeira Live com os autores das obras poéticas integrantes da Coleção Passeio Interior. Composta por quatro títulos: Batismo à Ordem da Verdade, de João Vanderlei de Moraes Filho; Mundo Blue (ou o poema em quarentena), de Pedro pereira Lopes; Sacrificiais, de Rómulo Bustos Aguirre, com tradução de Wladimir Cazé; Privações, de Rony Bonn; a coleção dialoga/transita entre a Cartagena de Indias – Colômbia, Maputo, Moçambique e Cachoeira, no Recôncavo da Bahia. De Cachoeira, cidade histórica, heroica e Monumento Nacional, a escrita dos autores João Vanderlei de Moraes Filho e Rony Bonn. Em Cartagena, Nuestra América, encontramos o poeta Rômulo Bustos Aguirre, uma das principais vozes da poesia colombiana contemporâ

'Rosa Tirana', filme do diretor poçoense Rogério Sagui, estreia na 24ª Mostra de Cinema de Tiradentes

Imagem
O filme "Rosa Tirana", produzido e dirigido pelo poçoense Rogério Sagui, estreia em grande estilo, ao participar da 24ª Mostra de Cinema de Tiradentes , em Minas Gerais, um dos mais importantes festivais de cinema do país. O longa-metragem, filmado no interior da Bahia, conta com a participação do ator José Dumont e tem também Elba Ramalho em sua trilha sonora. Foto: Divulgação "Rosa Tirana", que será exibido na "Mostra Aurora", dia 25 de janeiro, às 20h, conta a história da menina Rosa, que, em uma terra banhada de sol, durante a maior seca que o sertão nordestino já viveu, mergulha em uma longa travessia pela caatinga árida e fantasiosa, em busca de um encontro com Nossa Senhora Imaculada, a rainha do sertão. Com um tom perspicaz, a trama é envolvida por um amálgama de fatores que, na aridez da paisagem retratada, torna-se fertilizante para a compreensão do drama humano, a partir do olhar da pequena protagonista. Maior evento dedicado ao cinema brasileir

Com voz forte e doce, Roriz Ra é revelação da nova MPB

Imagem
Com uma voz forte e, ao mesmo tempo, doce, Roriz Ra é a grande novidade da música brasileira, uma cantora que, em seu primeiro trabalho autoral apresentado ao público, já demonstra grande maturidade no que faz. Roriz Ra - Foto: Divulgação Roriz Ra teve seu primeiro contato com a música ainda criança, por influência de seu pai, cantando e tocando serenatas para a lua. Tocou violoncelo dos 7 aos 11 anos e depois se desencantou. A partir dai, abraçou a voz como seu instrumento principal. Aos 14 se interessou pela MPB e todo o universo que a agrega. Estudou muito dedicando-se com afinco à música. Depois de decidir o que queria, entrou na escola de música da UFBA, aos 17 anos, fazendo metade do curso e, agora, devido à pandemia, realiza estudos através de um processo pessoal, compondo e pesquisando músicas e sons. Roriz Ra - Foto: Divulgação Compôs, no ano de 2020, a música "Picuinha de Passarim", que foi lançada pela produtora Oxi Filmes, dia 3 de janeiro de 2021, com um clipe no

Projetos apoiados pelo Programa Aldir Blanc Bahia festejam o Dia de Reis online

Imagem
transmissões acontecem nesta quarta-feira, 06 de janeiro, data da Festa de Reis no calendário popular  A tradição de Dia dos Reis é um marco no calendário de festas populares. Todo dia 06 de janeiro, começando ainda na véspera, é certeza de muita música, danças e expressões artísticas pelas ruas, com os reizados e ternos, manifestações comuns na Bahia, na capital e no interior do estado, que se associam à história da visita dos reis magos ao menino Jesus. O ano de 2021 será diferente, sem as típicas aglomerações que marcam os festejos.  Terno de Reis da União - Itarantim / Foto Divulgação Projetos selecionados pelos Prêmios de Preservação dos Bens Culturais Populares e Identitárias da Bahia Emília Biancardi, com o apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e do Centro de Culturas Populares e Identitárias (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal, transmitirão eve