O dia em que a olheira do BBB foi ao Nosso Sarau

Caindo de paraquedas no BBB

Rosana Paulo - Foto: Divulgação

Em uma manhã de 2018 estava em casa quando o celular tocou, atendi : 

- Alô! 

- Alô, aqui é da Rede Globo, é Rosana Paulo?

 - Não, é  engano, aqui é Beyoncé. 

- É sério, Rosana. Você foi a escritora convidada  no sarau que teve no Goethe (Nosso Sarau*) em outubro, certo? Eu estava na plateia e achei você muito interessante e gostei muito do evento, sua filha me deu seu contato(ah, Catharina!). Eu trabalho na Globo... (lembrei de Bozó, não o despacho, mas o personagem de Chico Anísio e segurei o riso) e quero convidar você para participar da seleção do BBB! 

- Euuu??? Oxe, como assim??? 

Refeita do susto eu larguei o doce: 

- Eu agradeço,viu? Mas não tenho vontade de participar do BBB e também não tenho o perfil para o programa. Seguiu-se um diálogo, do tipo ela querendo me convencer e eu recusando. Até que aceitei. Repare bem, eu não sou de enjeitar experiências diferentes. Ela me orientou de como participar da seleção e fui avisada que o processo era sigiloso e não podia contar a senhor ninguém(Ai, meu pai! Abafe o caso! Logo eu  que amo falar?). 

No dia e horário marcado fui para um hotel chique, daqui de Salvador, nos trinques. Tinha já um enxame de gente (de todos os estilos possíveis e imagináveis) na porta, mas a entrada era por horário e foi tranquilo (exceto pelo desacerto de eu ter esquecido  minha carteira de identidade em casa, êta porra!). 

Nos levaram para uma sala  onde respondi um formulário imenso, já que fui convidada por uma olheira do BBB e não tinha me inscrito, e assinei um contrato de confidencialidade. Depois eu e meu grupo fomos levados para outra sala com um som alto da zorra, uma pequena pista de dança, sofás e pufes espalhados pelo ambiente, umas mesas de bufê  com petiscos e bebidas, um canto com poltronas e uma mesinha com alguns livros de literatura, outro espaço com papel, lápis de cor, tintas e etc. Lá já estavam pessoas de um outro grupo  misturadas com funcionários da equipe de produção para nos espiar. Fiquei lá durante um bom tempo jogando conversa fora, desenhando, pintando (ops, derrubei o pote de tinta e respingou na parede impecável, foi mal!), comendo e dançando (quem está na chuva tem que se molhar). Depois o outro grupo foi chamado e chegou  um novo. 

Posteriormente fomos para outro lugar onde participamos de uns jogos teatrais individuais e dinâmicas de grupo sobre assuntos bem polêmicos, rolou até uma história sobre Fake News, no qual eu discordei da maioria da minha equipe e apresentei o meu ponto de vista (receba!), a instrutora era linha dura e desconfio que me achou uma comunista. Em seguida, fizemos uma gravação nos apresentando e dizendo o motivo para sermos os escolhidos para participar do BBB. Todo esse tempo não podíamos ter nenhum contato com o mundo externo, resultado nada de celular! Fiquei mais próxima de alguns participantes, eram pessoas jovens que queriam muito participar do BBB e sabiam tudo sobre o programa. Estavam nervosas e agoniadas para serem escolhidas e cheias de sonhos e expectativas em relação ao reality show. Meus trabalhos artísticos com adolescentes me ajudaram muito a interagir com esses aspirantes ao BBB, eles eram bem legais e engraçados. Foi uma vivência interessante e divertida. E para provar mostro um vídeo, maior mico hahaha.  

P. S. Tudo isso de salto alto!

Assista vídeo:


Por Rosana Paulo

*O Nosso Sarau acontece desde 2018, em edições presenciais na Biblioteca do Goethe-Institut Salvador, com curadoria e mediação do poeta e escritor Cacau Novaes. Devido à pandemia do novo coronavírus, passou a realizar suas edições de 2020 em formato virtual, transmitidas pelo Facebook e YouTube, que passaram a contar com a participação de poetas e escritores de outros países, tornando-se em 2020 um evento internacional, com mediação de Cacau Novaes e Valdeck Almeida de Jesus.

Comentários

Postar um comentário

Posts mais visitados

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

O perigo das Fake News para a sociedade e o impacto às pessoas e instituições

Os morcegos estão comendo os mamãos maduros, de Gramiro de Matos

Sérgio Mattos: Bernardo Rabello, nova aposta da moda nacional

Manifesto dos Escritores, Artistas, Cientistas, Jornalistas, Professores e Pensadores Baianos pela Democracia