Pular para o conteúdo principal

Marádida, de Cacau Novaes, é lançado na Flipelô

O livro Marádida – Uma luz no fim do túnel, de Cacau Novaes, foi lançado ontem (12) na Festa Literária Internacional do Pelourinho. O evento aconteceu na Casa das Editoras Baianas, que está funcionando na antiga Faculdade de Medicina, no Centro Histórico de Salvador.

Foto: Divulgação

O romance Marádida, de Cacau Novaes, conta a história de um escritor e a sua angústia para concluir o seu livro, ao mesmo tempo em que ficção e realidade se entrelaçam. No decorrer da narrativa surgem textos do livro que está sendo escrito pelo escritor-personagem e as duas histórias se misturam criando um labirinto que prende o leitor nesse universo distópico, onde Juno, Tuna e outros personagens tentam sair de um mundo repressor, que prende e engana a todos, forjando a história e fazendo-os acreditar que estão num mundo perfeito e que, fora dali, nada mais existe e não há outro modo de vida, a não ser naquele lugar. Então, eles encontram a luz no fim do túnel, uma passagem que permite ver a realidade que está fora da Centrais, onde vivem. Esse caminho leva até o paraíso utópico de Marádida, onde “o sol, no entardecer, parece com o ouro jogado no céu, derramando-se sobre a terra”.


Sobre o livro, uma comissão do Selo Letras da Bahia, formada por Adinoel Mota Maia, Aleilton Santana, Gerana Dulamakis, Hélio Pólvora, Mário Calmon Bitencourt e Waldir Freitas Oliveira, deu o seguinte parecer:

“Kafka, Proust? É difícil precisar a matriz ficcional a que filiar este texto. Essencialmente subjetivo, lembra pinturas modernistas que desafiam a leitura. A palavra Marádida, inventada pelo autor, significa “fantasia do irreal que se concretiza por instantes e depois só permanece em nossas mentes”. Uma visão fugidia e, entretanto, permanente de um lugar que poderia ser chamado de Shangri-Lá ou outro espaço ideal concebido pela imaginação. É para a mítica Marádida que se dirige o pensamento desse ficcionista, quando sonha ou quando a ele se junta a companheira dos momentos de amor. No entanto, encontra propósito, sem perturbar o curso da narrativa, para falar de suas reflexões e também para comentar problemas sociais, como, entre outros, o das favelas que circundam as grandes cidades. O texto é maduro e lírico, retórico e lúdico, original e com forte caráter pessoal, por isso mesmo invulgar.”

Confira fotos na página do Instagram de Cacau Novaes:

A Flipelô está acontecendo desde quarta-feira (09), em diversos espaços do Pelourinho. A festa convida o público a mergulhar no universo literário por meio de atividades informativas, bate-papos, lançamento de livros, slams, saraus de poesia e apresentações musicais totalmente gratuitas, sendo um total de 135 painéis e 60 autores brasileiros e estrangeiros. Parte da programação está sendo transmitida on-line, pelo canal do Youtube da Flipelô. O evento se encerra hoje (13), com show do Cortejo Afro, às 18h, no Largo do Pelourinho.

Cortejo Afro - Foto: Divulgação

Confira programação para hoje (13):

DOMINGO (13)

IGREJA ROSÁRIO DOS PRETOS – 9h – Missa de agradecimento/encerramento Dedicada a Santa Dulce dos Pobres

IGREJA ROSÁRIO DOS PRETOS – 9h às 17h – Mostra Candace, com Eliana Aquino (BA)

VILA LITERÁRIA – LARGO TEREZA BATISTA – 10h – Lançamento O Eclipse, com Van Amorim (BA), Mediação: Joana Guerra (BA)

VILA LITERÁRIA – LARGO TEREZA BATISTA – 10h – Exposição Coroa de Ouro e Oficina Tranças e Turbantes, com Negra Jhô (BA)

ARENA TEATRO SESC – SENAC PELOURINHO – 10h – Contação de histórias infantis O segredo da cabeça Porongo, com Vovó Cici (BA), Mário Omar (BA)

MUSEU EUGÊNIO TEIXEIRA LEAL – 11h – Com a palavra o escritor Escrever as Mães – maternidade e resistência, com Sara Bertrand (Chile), Apresentação: Lilia Gramacho (BA)

FUNDAÇÃO CASA DE JORGE AMADO – 11h – Apresentação teatral – Monólogo Jorge de Lima – A invenção da Poesia, com Chico de Assis (AL)

TEATRO SESC – SENAC PELOURINHO – 11h – Espetáculo teatral infantil A casa encantada, com Bonde da Calu (BA)

VILA LITERÁRIA – LARGO TEREZA BATISTA – 11h – Lançamento O Menino da Mata, com Magna Cerqueira (BA), Contação de história, Juliana Anselmo (BA)

VILA LITERÁRIA – LARGO TEREZA BATISTA – 11 às 17h – Escambo de livros Navegue no Bem

CASA DAS EDITORAS BAIANAS – 12h às 14h – Intervenções poéticas Àdúrà, com Camillo César Alvarenga – Ed. paralelo13S.

TEATRO SESC – SENAC PELOURINHO – 14h – Mesa Leio, logo posto, com Pedro Pacífico (SP), Eliz Oliveira (PI), Mediação: Rodrigo Casarin (SP)

VILA LITERÁRIA – LARGO TEREZA BATISTA – 14h – Bate-papo A ficção e a realidade na literatura para jovens, com Ricardo Ishmael (BA), Vitor Martins (SP), Mediação: Samira Soares (BA)

VILA LITERÁRIA – LARGO TEREZA BATISTA – 14h – Exposição Coroa de Ouro e Oficina Tranças e Turbantes, com Negra Jhô (BA)

PRAÇA QUINCAS BERRO D’ÁGUA – 15h – Apresentação musical Banda Agentes do Metrô *Participação da banda do Ilê Aiyê

VILA LITERÁRIA – LARGO TEREZA BATISTA – 15h – Lançamento Exis(ir), com Cristiane Sousa Santos (BA)

CASA DAS EDITORAS BAIANAS – 15h – Mesa e lançamento de livros Poesia brasileira contemporânea 2, com Camilo Cesar Alvarenga – àdúrà – Ed. Paralelo13S, Marcelo Frazão – E nada pode ser feito quanto a isso – Ed. P55, Leticia Carvalho – Eu devia ter visto isso chegando – Ed. Paralelo13S

TEATRO SESC – SENAC PELOURINHO – 16h – Mesa Literatura dá samba, com Juliana Ribeiro (BA), Pedro Abib (BA), Mediação: Silvana Oliveira (BA),

FUNDAÇÃO CASA DE JORGE AMADO – 16h – Bate-papo e lançamento do livro Roma Negra – uma cidade ilustrada em quadrinhos, com Esteban Vivaldi (Chile), Gutemberg Cruz (BA)

MUSEU EUGÊNIO TEIXEIRA LEAL – 16h – Exibição do Documentário Bicentenário da Independência: Heróis e Heroínas da Liberdade, Bate-papo com Ricardo Ishmael (BA), Henrique Mendes (BA)

VILA LITERÁRIA – LARGO TEREZA BATISTA – 16h – Bate-papo Do independente às salas de roteiro, com Juan Jullian (RJ), Mediação: Marcelo Lima (BA)

VILA LITERÁRIA – LARGO TEREZA BATISTA – 17h – Sarau Sarau pelo direito da poesia: mas onde existe poesia?, com Grupo de autores da Coluna Direito & Arte

LARGO DO PELOURINHO – CORETO FLIPELÔ – 18h – Apresentação musical, com Cortejo Afro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cacau Novaes recebe os títulos de Doutor Honoris Causa e Embaixador da Cultura

José Carlos Assunção Novaes (Cacau Novaes) recebeu, na última edição do Nosso Sarau, os títulos de Doutor Honoris Causa e Embaixador da Cultura Brasileira, concedidos pela Universidade Ibero-Americana. A cerimônia de entrega aconteceu no dia 19 de junho no KreatvLab do Goethe-Institut Salvador, através do presidente da Fundação Luiz Ademir de Cultura, Luiz Ademir Souza. Também foram agraciados com o título de Doutor Honoris Causa, no mesmo dia e evento, a poeta Ametista Nunes e o escritor João Fernando Gouveia. José Carlos Assunção Novaes (Cacau Novaes) é poeta, escritor, professor, Mestre em Letras e Doutor em Língua e Cultura pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Autor da novela "Marádida", dos livros de poesia "Os poetas estão vivos", "As Sandálias", Você não sabe do que é capaz", "Eu só queria ver o pôr do sol" e "Fonte de Beber Água", do livro infantil "Xande e o Sapo Romualdo", além da pesquisa linguistica &

Tudo pronto para o Ticomia 2024: A melhor festa de São João do Brasil!

  A melhor festa de São João do Brasil. 37 anos de tradição, essência e muito forró! A festa começou sua história em 1987 com um grupo de universitários baianos que objetivavam valorizar e preservar o forró, ritmo e dança típicos da região Nordeste e as tradições juninas. 36 anos depois, o Ticomia continua sendo realizado no mesmo local, com a mesma proposta e essência, mas adaptada a conceitos da modernidade. É um dos únicos eventos do país que mantém uma grade de atrações 100% FORRÓ. No ano de 2022 o Ticomia recebeu o prêmio de melhor festa privada do São João da Bahia, e mais uma vez promete trazer um evento inesquecível. Área única dotada de uma mega estrutura e serviço ALL INCLUSIVE, onde você pode desfrutar dos mais variados tipos de bebidas e comidas: cerveja, água, refrigerante, frozen, cachaças, água de côco, caldo de cana, ligante, acarajé, abará, queijo coalho c/ melaço, pamonha, amendoim, milho cozido, tapioca, crepes, tradições gaúchas (porco e costela bovina no rolete), c

Alvorecer Santos é o convidado da edição de junho do Nosso Sarau

O Nosso Sarau promove mais uma edição nesta quarta-feira (19), às 18h, no KreativLab do Goethe-Institut Salvador, tendo como convidado Alvorecer Santos, que participa de um bate papo sobre a sua trajetória na literatura.  A programação inclui também um recital de poesia com Ametista Nunes, Cacau Novaes, Décio Torres, Dilu Machado, Emerson Bulcão, João Fernando Gouveia, Joel Gomes, Marcos Peixe e Rosana Paulo, além de apresentações musicais com Di Carvalho e Ritta Cidhreira. No local, acontece ainda um bazar com livros e CDs dos escritores(as) e cantores(as) presentes. O Nosso Sarau tem produção e curadoria de Cacau Novaes, com o apoio do Goethe-Institut Salvador. A entrada é gratuita e o evento é transmitido também pelo perfil no Instagram @nossosarau.ssa Sobre o autor  Alvorecer Santos, nome artístico de Armando Rocha dos Santos, é natural de São Félix, na Bahia, mas se considera mangabeirense, pois viveu até os 18 anos na cidade de Governador Mangabeira, Bahia. Mestre em Estudo de Li

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

Nêgo Jhá é uma banda do interior da Bahia, da cidade de Iguaí, situada no Centro Sul do estado, criada em janeiro de 2018, por Guilherme Santana e Gabriel Almeida, através de u ma simples brincadeira entre amigos, que resultou em um trabalho profissional.  A banda já contabiliza mais de 30 milhões de visualizações no YouTube com suas músicas, entre elas, destaca-se “Cabaré”, música de trabalho gravada por artistas famosos, que compartilharam vídeos, que viralizaram na internet, ouvindo e dançando o hit do momento em todo o Brasil. Até no BBB21 da Rede Globo já tocou a música dos garotos. Foto: Divulgação Confira abaixo a entrevista com os integrantes da Nego Jhá: Cacau Novaes - Como surgiu a ideia de criar Nego Jhá? Como tudo começou?  Nego Jhá -  Através de uma brincadeira entre mim, Guilherme, e meu amigo Gabriel, que toca teclado.  No início não tínhamos em mente de que isso se tornaria algo profissional, pensamos apenas em gravar por diversão e resenha. Cacau Novaes -  É uma dupl

'Rosa Tirana', filme do diretor poçoense Rogério Sagui, estreia na 24ª Mostra de Cinema de Tiradentes

O filme "Rosa Tirana", produzido e dirigido pelo poçoense Rogério Sagui, estreia em grande estilo, ao participar da 24ª Mostra de Cinema de Tiradentes , em Minas Gerais, um dos mais importantes festivais de cinema do país. O longa-metragem, filmado no interior da Bahia, conta com a participação do ator José Dumont e tem também Elba Ramalho em sua trilha sonora. Foto: Divulgação "Rosa Tirana", que será exibido na "Mostra Aurora", dia 25 de janeiro, às 20h, conta a história da menina Rosa, que, em uma terra banhada de sol, durante a maior seca que o sertão nordestino já viveu, mergulha em uma longa travessia pela caatinga árida e fantasiosa, em busca de um encontro com Nossa Senhora Imaculada, a rainha do sertão. Com um tom perspicaz, a trama é envolvida por um amálgama de fatores que, na aridez da paisagem retratada, torna-se fertilizante para a compreensão do drama humano, a partir do olhar da pequena protagonista. Maior evento dedicado ao cinema brasileir