Brasileiros participam de Antologia pela independência dos povos sarahauis

Os escritores brasileiros José Carlos Assunção Novaes (Cacau Novaes) e Cristina Leilane Fernandes participam da Antologia "Luna y Estrella para un Sáhara Libre", que reúne textos de escritores de 22 países pela independência dos povos saharauis, no Saara Ocidental.

Cristina Leilane Fernandes e José Carlos Assunção Novaes

O livro foi lançado virtualmente no dia 16 de abril e terá lançamento presencial no dia 22 de maio, às 19h, na Argentina, durante a 46ª Feira Internacional do Livro de Buenos Aires.

A obra é uma edição do M.I.E.L. - Movimiento Internacional de Escritores e Artistas por la Libertad, com comentário do Prêmio Nobel da Paz Adolfo Pérez Esquivel, prólogo de Maribel Lacave, desenho da capa de Mohamed Salem Adelfatah (Ebnu), design da capa de Dayana Lopez Villalobos e organização de Mohamed Ali Muley Ahamed, e Milagres Sefair.

Confira o nome dos escritores participantes e seus respectivos países:

1. Roberto Romeo de Vita - Argentina
2. Kari Krenn - Argentina
3. Milagres Sefair - Argentina.
4. Aldo Parfeniak - Argentina.
5. Maribel Lacave - Ilhas Canárias
6. Concepción Bautista Vázquez - México
7. Saleh Abdalahi Hamudi - República Saharaui.
8. Fernando Cassamar - Peru.
9. Lety Elvir - Honduras.
10. Maria de Lourdes Cabrera - Uruguai.
11. Myriam Alba Arcerito - Argentina.
12. Ruben Sacchi - Argentina.
13. Sarah Moscoso Barriga - Bolívia.
14. Ana Maria Oviedo Palomares - Venezuela.
15. Emiliana Monteiro - Argentina.
16. Adriana Mendoza - Argentina
17. Bachir Ahmed Aomar - República Saharaui.
18. Alberto Noguerol - Argentina.
19. Micaela Mendoza - Bolívia.
20. Jerry Ralph Brizard - Haiti.
21. Mohamed Salem Adelfatah (Ebnu) - República Saharaui
22. Martha Valente - Uruguai.
23. Reinier Valdés Rodriguez - Cuba
24. Angélica Maschio - Paraguay.
25. Sebastian Jorgi - Argentina.
26. Moises Pascual - Panamá.
27. Natacha Mell - Argentina.
28. Alba Aida Oliva - Argentina.
29. Cecília Gianlupi - Uruguai.
30. Graciela Romero - Argentina.
31. Dora Isabel Berdugo Iriarte - Colômbia.
32. Oralia Lopez Serrano - México.
33. Paul Atangana Atangana - Camarões.
34. Juan José Reimondez - Argentina.
35. Graciela Beatriz Brown - Argentina.
36. Catarina "Ameire" Ledezma - Chile.
37. Florença Ronco - Argentina.
38. Limam Boicha - República Saharauí.
39. Monica Petrillo - Argentina.
40. Mohamed Ali Ali Salem - República Saharaui.
41. Mujeres por Mujeres - Espanha.
42. Aron Dulh - Espanha.
43. Javier Marrero Santana - Ilhas Canárias
44. José Onias Cuellar Calderon - Colômbia.
45. Alejandra Denis - Argentina.
46. Maria Amélia Dinova Castro - Argentina.
47. Soledad Benages Amorós - Espanha.
48. José Carlos Assunção Novaes - Brasil.
49. Dayana Lopez Villalobos - Venezuela.
50. Aldo Luis Novelli - Argentina.
51. Cristina Leilane de Azevedo Fernándes - Brasil.
52. Ahmed Noureldeen Rifaai - Egito.
53. Jorge Hardmeier - Argentina.
54. Alejandra Burzac Saenz - Argentina.
55. Alba Marina Loberse - Argentina.
56. Ema Vilches - Argentina
57. Yasmin Makut - Argentina.

Sobre o povo saharaui:

O povo saharaui foi expulso de suas terras no Marrocos, há 45 anos, e forçado a viver no deserto, em campos de refugiados. Frente ao silêncio da ONU, resta a solidariedade internacional.

Os primeiros campos começaram a se formar em 1975 quando houve uma corrida para deserto para fugir dos ataques da Mauritânia e do Marrocos. O território do povo saharaui, o Saara Ocidental, foi colonizado pela Espanha até 1975. Quando a Espanha saiu do território, depois das lutas do povo saharaui pela autodeterminação, Marrocos e Mauritânia se apresentaram como donos daquele território. A Mauritânia foi derrotada pelos combatentes da Frente Polisário, representante política do povo saharaui. Marrocos, no entanto, segue ocupando os territórios saharauis e explorando suas riquezas. Parte do povo saharaui vive sob a ditadura do reino de Marrocos, outra, nos campos de refugiados e em outros países. Separando as famílias que vivem nos campos e nos territórios ocupados há um muro construído por Marrocos de 2.700 quilômetros e milhões de bombas subterrâneas espalhadas nas cercanias do muro. Já se passaram 45 anos e Marrocos, sob o silêncio cúmplice da ONU, segue oprimido e espoliando os recursos do povo saharaui.

Clique e leia texto de Milagros Sefair: Sáhara Occidental. El Sáhara es de lxs saharauis


Comentários

Posts mais visitados

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

Rosa Tirana é indicado em cinco categorias no FANTLATAM Cinefantasy

Em abril, estreia Baianidade, o novo reality show da Bahia

Nosso Sarau faz 5 horas de live com participação de poetas latino-americanos

Novo livro de contos de Nelson Maca tem lançamento no dia 10 de dezembro