Livro do Mestre em Letras José Carlos Assunção Novaes é lançado no Salvador Shopping

O livro O sujeito nulo no português popular da Bahia, do Mestre em Letras, e estudante de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da UFBA, José Carlos Assunção Novaes foi lançado ontem (17) na Livraria Leitura do Salvador Shopping.

José Carlos Assunção Novaes autografando o livro

A obra que tem apresentação na contracapa do renomado sociolinguísta Professor Doutor Dante Lucchesi e traz em sua capa uma belíssima foto de Brenno Lopes, jovem fotógrafo poçoense, é resultado da pesquisa de mestrado do autor, realizada no município de Poções, na sede e no distrito de Morrinhos.

Lançamento do livro reuniu amigos e apreciadores da obra do autor

O evento reuniu um público considerável, respeitando-se os protocolos de saúde relacionados à pandemia do coronavírus, que foram prestigiar o novo livro do professor, que também é poeta e escritor, autor de livros de poesia, romance, conto e literatura infantil, e já participou de antologias no Brasil e em outros países, como Portugal, Argentina, Colômbia, entre outros.

Fila formada para receber o autógrafo 

O Professor Doutor Carlos Felipe Pinto, da Universidade Federal da Bahia (UFBA) falou, durante o lançamento, sobre a linguística histórica e a sintaxe do português e também sobre a importância do livro e da pesquisa realizada por José Carlos Assunção Novaes que, atualmente, é seu orientando e está desenvolvendo uma tese de doutorado sobre o parâmetro do sujeito nulo no português popular afro-brasileiro, cuja pesquisa foi realizada na comunidade quilombola de Lagoinha, no município de Nova Canaã.

Prof. Dr. Carlos Felipe foi o convidado para falar durante o lançamento

O Sujeito Nulo no Português Popular da Bahia

O português brasileiro, sobretudo em suas variedades populares, diferencia-se muito do português europeu, pois possui características próprias que se formaram, desde o período da colonização do Brasil, quando aqui chegaram os primeiros colonizadores europeus e estabeleceram contato com as diversas línguas indígenas e, posteriormente, com as línguas africanas vindas com a população negra escravizada trazida da África. Esse contato teria afetado principalmente a formação do português popular do Brasil, não deixando de se refletir também na norma culta brasileira. Um dos aspectos que diferenciam o português brasileiro do português europeu é a realização do sujeito pronominal. De acordo com a Teoria de Princípios e Parâmetros, criada por Noam Chomsky, o português europeu é uma língua pro-drop típica, pois não realiza o sujeito pronominal em determinados contextos. No entanto, no português brasileiro estaria ocorrendo esta realização pronominal, típica de línguas não-pro-drop. Este processo, que é geral no Brasil, é observado, neste trabalho, no português popular da Bahia, em uma pesquisa realizada no município de Poções, situado na região sudoeste do estado, utilizando a metodologia da Sociolinguísta Variacionista, que teve como principal difusor o americano William Labov.

Confira vídeos do evento:




Confira abaixo fotos do evento nas redes sociais do autor:

 

 

 

 

 

 

 

 



Comentários

Posts mais visitados

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

Rosa Tirana é indicado em cinco categorias no FANTLATAM Cinefantasy

Em abril, estreia Baianidade, o novo reality show da Bahia

Nosso Sarau faz 5 horas de live com participação de poetas latino-americanos

Novo livro de contos de Nelson Maca tem lançamento no dia 10 de dezembro