Adão, Eva e o Patriarcado

O historiador Yuval Harari, em seu livro Sapiens, argumenta que os seres humanos se distinguem dos demais animais pela sua capacidade de inventar e compartilhar histórias. Segundo Harari, as histórias compartilhadas unem os seres humanos em sociedades. A força de coesão de um grupo depende da força do compartilhamento das histórias. 

Jorge Miklos - Foto: Divulgação

Chamamos de mito as histórias mais antigas que nossos ancestrais inventaram e compartilharam. Mitos narram acontecimentos grandiosos que envolvem personagens heroicos cujo desfecho, na maioria das vezes, é trágico. Mito não é sinônimo de mentira. Os mitos transportam significados que atribuímos ao mundo e contribui para organizá-lo dentro e fora da nossa cabeça. É dos mitos que os discursos ideológicos e políticos tiram sua força e, com isso, formatam condutas socialmente aceitas.

Uma das histórias que possui muita força na nossa cultura e que esculpe as nossas relações de gênero encontra-se no livro do Gênesis (2:21-23), do Antigo Testamento. Consta que após ter criado o mundo e o primeiro homem, Adão, Deus fez o homem cair em um sono profundo. Enquanto Adão dormia, Deus tirou-lhe uma costela e, com ela, Deus fez a mulher "carne da minha carne". Adão chamou a mulher de Eva.

O relato proporciona duas interpretações. A primeira é que Deus fez a mulher para o homem, pois entendeu que não era bom que o homem ficasse só. Assim, a mulher não foi criada por seu valor intrínseco, mas para alguém, para algo. É um instrumento, um acessório, uma assistente, uma acólita. A segunda é que a mulher é um apêndice do homem. A imagem servil e submissa é até hoje transmitida pela cultura que nomeamos de patriarcal.

Mesmo que a versão dominante seja a patriarcal, um caminho de transformação é compreender que não existe uma versão universal, singular de masculinidade. Há maneiras plurais do ‘ser homem’ e do ‘ser mulher’ que não cabem em uma única caixa.


Por Jorge Miklos

Sociólogo e analista junguiano. Dirige uma pesquisa sobre as masculinidades no mundo contemporâneo

Comentários

Posts mais visitados

Ticomia recomeça dia 25 como a maior explosão de alegria do São João da Bahia

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

New face da 40 Graus Models, Ana Clara Rios passa férias na Bahia

Conheça “Raíz do Sertão”, novo álbum do rapper baiano TR MC

‘A rosa de Hiroxima’, de Vinicius de Moraes, em extraordinária interpretação de Ney Matogrosso