Tradicional nos festejos juninos, fumaça de fogueiras pode prejudicar pacientes que tiveram Covid-19

Pneumologista alerta para os cuidados que devem ser adotados nesse período

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o mês de junho, tradicionalmente reconhecido pela realização dos festejos juninos, pode ser responsável por um cenário de complicações para pessoas que contraíram a Covid-19. Essa preocupação se dá porque os pacientes acometidos pela Covid-19, sobretudo os que desenvolveram pneumonia viral, estão em maior risco para complicações em decorrência da inalação de fumaça, já que o vírus causa lesões em células do trato respiratório, e esse quadro pode piorar com a fumaça - que se torna outro fator de agressão à pele que reveste toda a via aérea.

Foto: Divulgação

De acordo com a pneumologista Larissa Voss Sadigursky, por sofrerem agressão às células pulmonares, os pacientes que desenvolveram a pneumonia, quando expostos à fumaça e produtos químicos, por exemplo, podem apresentar sintomas como chiados no peito, falta de ar e cansaço. No entanto a especialista reforça que as reações não são exclusivas de pacientes vítimas de Covid-19. “Não é algo específico da Covid. Qualquer vírus e bactéria pode causar a lesão do epitélio brônquico e causar sintomas semelhantes, assim como a dor torácica. É algo natural, da própria regressão da parte inflamatória”, explicou.

Larissa Voss Sadigursky, pneumologista - Foto: Divulgação

A especialista defende que quem se infectou com o novo coronavírus, mesmo após a recuperação, não deve fazer nenhuma atividade que resulte em mais uma agressão para o pulmão, como o contato com a fumaça, pois isso pode potencializar um dano ao pulmão. “Os pacientes que tiveram Covid, sobretudo aqueles com pneumonia na forma mais grave, podem evoluir para um quadro de hiperreatividade brônquica, levando a sintomas como tosse, além de falta de ar, cansaço e chiados no peito. Sem dúvida, esse cenário pode ser agravado pela fumaça de fogos e fogueiras. Com isso a recomendação é que esses pacientes não toquem em fogos de artifício, e evitem ambientes com fumaça”, indica a especialista.

Por conta desse cenário, a pneumologista reforça as recomendações do uso da máscara, além da necessidade dos pacientes, mesmo os já recuperados, de evitarem a exposição, como forma de evitar a inalação da fumaça, em meio ao período junino. “Mesmo com a recomendação do isolamento social e de evitar comemorações, muitas pessoas acabam desrespeitando, e isso pode ser muito perigoso”, explica.

Comentários

Posts mais visitados

Ticomia recomeça dia 25 como a maior explosão de alegria do São João da Bahia

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

New face da 40 Graus Models, Ana Clara Rios passa férias na Bahia

Conheça “Raíz do Sertão”, novo álbum do rapper baiano TR MC

‘A rosa de Hiroxima’, de Vinicius de Moraes, em extraordinária interpretação de Ney Matogrosso