Menino que sofreu racismo nas redes recebe surpresa da Academia Brasileira de Letras

Apaixonado por livros, Adriel foi atacado na página que tem numa rede social para falar sobre o assunto. Ele também recebeu livros doados por admiradores de todo país.

No Brasil, um menino de 12 anos conhece muito bem a humilhação e a covardia de ataques racistas. Mas também teve a oportunidade de se fortalecer com o apoio amplo e solidário.

Foto: Divulgação

Cinco prateleiras e muitos sonhos. Nas páginas dos livros, Adriel encontra mais que um passatempo: conhece outras culturas, vive aventuras, se informa, se emociona. Um amor que ele quis dividir com todos ao criar um perfil de literatura numa rede social. Foi aí que Adriel percebeu que seguir seu sonho passa também por enfrentar o preconceito.

A página na internet virou alvo de comentários racistas. Ofensas que Adriel respondeu desse jeito: “Em pleno século XXI pessoas ainda são racistas? Atualizem-se. Insultos acabam com o psicológico de pessoas fracas. Esse tipo de coisa não me abala em nenhum ponto. Aliás, tenho orgulho de ser negro”. Uma resposta que despertou admiração.

“O Adriel é um menino realmente admirável, porque ele respondeu com tudo aquilo que não houve da parte dos seus agressores: inteligência, um sentimento de orgulho, de oportunidade e de clareza. O Adriel usou aquilo que está faltando muito ao Brasil: armas culturais”, avalia o presidente da ABL, Marco Lucchesi.

A admiração virou apoio. A surpresa da Academia Brasileira de Letras chegou nesta quarta (3) pelos Correios. "Ai, meu Deus, ai meu Deus. Não tenho nem palavras para descrever na verdade o que eu estou sentindo agora. Eu estou chocado", comemorou.

Foto: Divulgação

O garoto também recebeu livros doados por admiradores de todo o país.

“Nesse momento que a gente está vivendo, por tudo que a gente já viveu, dá um acalentozinho para o coração, aquela esperançazinha de que ainda tem jeito”, diz a mãe de Adriel, Deise Oliveira.

Feliz ao lado dos 'novos amigos', Adriel diz que está ainda mais motivado para inspirar meninos e meninas. "Como eu acreditei nos meus sonhos, eu consegui realizar. Então, essas pessoas precisam acreditar nos sonhos e nelas mesmas", afirma Adriel.

“Você, Adriel, nos dá um horizonte de esperança, porque você nos dá sonho num momento em que vivemos grandes pesadelos. Você defende a cultura, enquanto outros bárbaros de muitas cidades do país em pontos de decisão, têm orgulho da própria ignorância. Quando a pandemia passar, espero realmente abraçá-lo pessoalmente e dizer muito obrigado, Adriel”, afirma o presidente da ABL.



Comentários

Posts mais visitados

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

O perigo das Fake News para a sociedade e o impacto às pessoas e instituições

Os morcegos estão comendo os mamãos maduros, de Gramiro de Matos

Sérgio Mattos: Bernardo Rabello, nova aposta da moda nacional

Manifesto dos Escritores, Artistas, Cientistas, Jornalistas, Professores e Pensadores Baianos pela Democracia