Ciro Pessoa, músico fundador dos Titãs, morre após contrair Covid-19

Músicos da banda usaram as redes sociais para lamentar morte do amigo. Ciro estava em tratamento contra câncer quando foi diagnosticado com coronavírus.

Ciro Pessoa, um dos fundadores da banda Titãs, morreu na madrugada desta terça-feira (5), aos 62 anos. A informação foi confirmada por familiares e amigos como Branco Mello e Sérgio Britto, que junto a Tony Bellotto, ainda fazem parte da formação do grupo.

Ciro Pessoa, fundador do Titãs, morre após contrair Covid-19 - Foto: Reprodução/Instagram

Segundo Isabela Johansen, ex-mulher do músico, Ciro "estava lutando contra o câncer e nas indas e vindas ao hospital, acabou contraindo Covid-19. Foi internado, mas infelizmente não resistiu".

"Estou profundamente triste com a partida nessa madrugada do meu irmão, músico, poeta e primeiro grande parceiro, Ciro Pessoa. Foi dele a ideia de reunir os amigos compositores no começo dos anos 80 pra fazermos uma banda de rock. E assim formamos os Titãs."

"Siga em paz, querido Ciro. Descansa meus olhos, sossega minha boca, me enche de luz …", escreveu Branco, citando o trecho de "Sonífera lha", uma das músicas do Titãs que tem Ciro entre os compositores. Ele também assina "Homem primata" junto a Tony Bellotto, Carlos Barmak, Branco Mello e Marcelo Fromer.

Ciro Pessoa, em foto de dezembro de 2017 — Foto: Van Campos/FotoArena/Estadão Conteúdo/Arquivo

Além das composições com os Titãs, Ciro tem mais de 100 obras assinadas por ele, segundo o Ecad. O trabalho mais recente do músico foi com a banda Flying Chair.

"O corpo será cremado e assim que essa fase chegar ao fim faremos um grande show em sua homenagem, pois é isso o que ele queria", afirmou Isabela.

"Seguimos com força, união e sabedoria. Ciro encontrou sua Sonífera Ilha e deixou para nós um mar de alegria e amor. E, claro, o maior presente que eu poderia sonhar."







…e as notícias ruins não cessam, não param de chegar, a cada manhã um golpe, a destruição do que foi construído, as mortes em sucessão velocíssima. Acabo de saber da morte de Ciro Pessoa, membro importante na formação dos Titãs, amigo constante de convivência e conversação na época. São Paulo era nossa cidade, espaço-lugar para nossa criação e trânsito. Frequentávamos a padaria CPL, ali na João Moura; Ciro sempre com seu casaco verde de brim, Jornal da Tarde embaixo do braço. Ensaiávamos todos os dias e juntos fazíamos os backing vocais: eu, Ciro, Branco, Paulo, Arnaldo, Britto. Algumas das músicas mais emblemáticas dessa fase do nosso repertório tinham sua participação: Sonífera Ilha, Baby Índio, Homem Primata, Dona Nenê. Outras, nunca gravadas, mas tocadas em todos os buracos onde nos apresentamos, fazem parte do ideário new-wave que marcou a pré-história do que vieram a ser os Titãs no Iê-iê: Lilian, a Suja; Johny Cristel… Ele se foi, a vida continua, a música é eterna, e a tristeza me invade. Ciro Pessoa, pessoa única, marcou minha vida.
Uma publicação compartilhada por Nando Reis (@nandoreis) em







Uma publicação compartilhada por Paulo Miklos (@miklospaulo) em


FONTE: G1

Comentários

Posts mais visitados

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

O perigo das Fake News para a sociedade e o impacto às pessoas e instituições

Os morcegos estão comendo os mamãos maduros, de Gramiro de Matos

Sérgio Mattos: Bernardo Rabello, nova aposta da moda nacional

Manifesto dos Escritores, Artistas, Cientistas, Jornalistas, Professores e Pensadores Baianos pela Democracia