Avisa lá: Hoje é aniversário do Olodum

“Avisa lá, que eu vou chegar mais tarde. Oh yeah!Vou me juntar ao Olodum. Que é da AlegriaÉ denominado de vulcão. O estampido ecoouOs quatros cantos do mundo. Em menos de um minuto. Em segundos”

Sim, hoje é aniversário do Olodum. São 41 anos de muita luta, trabalho, resistência e criatividade em defesa da igualdade e da cultura na Bahia. Minhas homenagens este ano, vão para o coração do Olodum, que se algum dia parar de bater, o Olodum desaparece, pois é neste espaço onde o vigor e o talento se juntam para compartilhar consciência, alegria e cidadania. 


Foto: Divulgação

Falo da Banda Reggae Olodum, também conhecida como o Exército do Samba Reggae. Por lá, nesses 41 anos de existência, passaram centenas de percussionistas, dezenas de cantores, bailarinos e Mestres.  

É a Banda Olodum que arrasta multidões pelo mundo afora.  É a Banda Olodum com sua batida inconfundível que amplifica nossas dores, nossos amores, nossas vozes, nas vozes dos cantores. Por isto afirmamos com tanta certeza “É lindo de se ver, é lindo venha apreciar, É lindo de ser ver a Banda Reggae do Olodum tocar.” 

São esses homens e mulheres, jovens e adultos que ao longo desses 41 anos tem sustentado a força e a imagem do Olodum. São mais do que trabalhadores/as da cultura, são seres humanos que também possuem família, pagam suas contas e precisam preservar sua saúde. São na verdade os artistas da cultura popular que compartilham com generosidade seu talento e criatividade. 

Parabenizo também, João Jorge e Marcelo Gentil pela condução diligente e atenta dos rumos do Olodum. A Daouda Dione e Zeni Ramos, como símbolos do seu Conselho Consultivo, A Rita Castro e Eunice Rodrigues pelo trabalho e compromisso com o dia a dia do Olodum. A Rafael Manga e Linda Rodrigues pela representação do nosso futuro. 

Nossos Mestres Memeu, Gilmário Marques e Andréa Silva, meu muito obrigado pela dedicação de vocês. Aos nossos cantores Lazinho, Mateus Vidal, Lucas Di Fiori e Narcisinho,  valeu por serem nossos porta vozes. 

E ao grande Mestre Neguinho do Samba, o agradecimento eterno por ter nos presenteado com o Samba Reggae. 

Por fim, quero dar um parabéns todo especial aqueles que fazem o Olodum acontecer: o seu grande público. Público da Bahia e do Brasil. Da Europa e das Américas. Da Ásia e da África. 

Toca a zabumba que a terra é nossa! Viva o Olodum!



Por Zulu Araújo

Comentários

Posts mais visitados

Ticomia recomeça dia 25 como a maior explosão de alegria do São João da Bahia

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

New face da 40 Graus Models, Ana Clara Rios passa férias na Bahia

Conheça “Raíz do Sertão”, novo álbum do rapper baiano TR MC

‘A rosa de Hiroxima’, de Vinicius de Moraes, em extraordinária interpretação de Ney Matogrosso