Pular para o conteúdo principal

Ibicuí faz história ao resgatar tradições nordestinas no IV Festival Estadual de Quadrilhas Juninas

Desde 2017, a Prefeitura de Ibicuí, por meio da Secretaria de Educação, Esporte e Cultura, promove o Festival Estadual de Quadrilhas Juninas, que reúne participantes de várias regiões do estado para se apresentarem na cidade, disputando a prêmios em dinheiro. 

Foto: Divulgação

Com a pandemia, o Festival de Quadrilhas Juninas na terra do forró precisou pausar suas edições nos anos de 2020 e 2021 e, no ano passado, devido à incerteza de que houvesse ou não liberação para o São João, o Festival também não pôde acontecer, pelo tempo inviável de organização, tanto da equipe, quanto das juninas. 

Foto: Divulgação

Neste ano, a tradição esteve de volta. No último fim de semana,  nos dias 16 e 17 de junho, aconteceu o IV Festival Estadual de Quadrilhas Juninas, na cidade de Ibicuí. 

A Praça Régis Pacheco foi palco para receber as 12 juninas que se apresentaram: Xote Arretado; Ibicuí; Luz do Nordeste, Vitória da Conquista; Seguidores da Fé, Poções; Vixe Maria, Condeúba; Pedra Branca, Itapetinga; Raízes do Sertão, Poções; Busca Pé, Caculé; Zabumba Dourada, Candeias; Fogueira Santa, Camaçari; Arrasta Chinela, Iaçu; Balancê, Itambé; e Rala Buxo, Itaquara.

Foto: Divulgação

Dessas, 11 se inscreveram  e concorreram ao prêmio de 16 mil reais, que foi dividido, de forma justa e prevista em edital, entre as primeiras juninas colocadas. 

Com temas distintos, que versavam entre valorização do povo nordestino, cultura, história e religião, as apresentações chamaram a atenção de todo o público, que ia de crianças a idosos, e também da equipe de jurados. 

Foto: Divulgação

Cenografia, figurino, interpretação, músicas escolhidas, dança, enfim, as juninas realizaram um verdadeiro espetáculo na praça da cidade, mostrando que a tradição e a cultura está viva e deve, sim, ser valorizada. 

“Desde o primeiro ano do nosso primeiro mandato, temos esse objetivo de resgatar a cultura e a tradição da nossa cidade, incentivando os nossos jovens a participarem de atividades que promovam isso. O Festival Estadual de Quadrilhas Juninas segue por esse objetivo. Ibicuí é conhecida como a terra do forró, é o destino de muitos foliões, e é claro que as quadrilhas juninas, que tão bem expressam a nossa cultura, estariam presentes no pré-São João. Foi lindo, encantador e muito especial ver as juninas se apresentando e todos os que estiveram presentes encantados com o que estavam vendo. No ano que vem, com fé em Deus, teremos mais uma edição do nosso Festival, a fim de que a cultura nordestina seja sempre lembrada e resgatada”, disse o prefeito, Marcos Galvão. 

Foto: Divulgação

Neste ano, o pódio do IV Festival Estadual de Quadrilhas Juninas seguiu assim

Campeã: Fogueira Santa - Camaçari 

Vice-campeã: Vixe Maria - Condeúba 

Terceiro: Seguidores da Fé - Poções 

Quarto: Balancê - Itambé 

Quinto: Buscapé - Caculé 

Foto: Divulgação

“Mais uma vez, agradeço a toda a organização, nossa equipe, pelo evento grandioso e de tanta importância; aos nossos patrocinadores; às nossas juninas participantes e seus organizadores; à equipe de jurados e todo o público presente. No ano que vem tem mais e a gente espera abraçar ainda mais juninas!”, finalizou o prefeito.

Foto: Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

Nêgo Jhá é uma banda do interior da Bahia, da cidade de Iguaí, situada no Centro Sul do estado, criada em janeiro de 2018, por Guilherme Santana e Gabriel Almeida, através de u ma simples brincadeira entre amigos, que resultou em um trabalho profissional.  A banda já contabiliza mais de 30 milhões de visualizações no YouTube com suas músicas, entre elas, destaca-se “Cabaré”, música de trabalho gravada por artistas famosos, que compartilharam vídeos, que viralizaram na internet, ouvindo e dançando o hit do momento em todo o Brasil. Até no BBB21 da Rede Globo já tocou a música dos garotos. Foto: Divulgação Confira abaixo a entrevista com os integrantes da Nego Jhá: Cacau Novaes - Como surgiu a ideia de criar Nego Jhá? Como tudo começou?  Nego Jhá -  Através de uma brincadeira entre mim, Guilherme, e meu amigo Gabriel, que toca teclado.  No início não tínhamos em mente de que isso se tornaria algo profissional, pensamos apenas em gravar por diversão e resenha. Cacau Novaes -  É uma dupl

Cacau Novaes lança, neste sábado (6), seu novo livro: “Eu só queria ver o pôr do sol”

O poeta e escritor Cacau Novaes lança, neste sábado (6), às 16h, o seu novo livro de poemas, intitulado “Eu só queria ver o pôr do sol”, pela Editora Mondrongo. O evento acontece em Salvador, na Cervejaria ArtMalte, na Rua Feira de Santana, 354, Rio Vermelho. Neste seu novo livro, Cacau Novaes se debruça sobre a terra arrasada pelas guerras, as mazelas da humanidade, os problemas sociais das grandes cidades, como os esgotos a céu aberto, entro outros. Poesia que nasce no seio de onde vem o cheiro de miséria e a desigualdade. Outros cinco autores também lançam, além de Cacau Novaes, os seus livros, no mesmo dia e local, em uma grande celebração literária: André Lemos, Antônio Brasileiro, Clara Pamponet, Douglas de Almeida e Vinícius Cardona. Segundo Gustavo Felicíssimo, editor da Mondrongo, será um “esquenta” para a Bienal do Livro da Bahia, que acontece de 26 de abril a 1º de maio no Centro de Convenções da Bahia. Durante a bienal, no Espaço das Editoras baianas, haverá um segundo mo

Nosso Sarau inicia encontros de 2024 com Douglas de Almeida e convidados

O Nosso Sarau volta às atividades, iniciando os encontros deste ano com muita poesia, música, bate papo literário, entre outras atividades artísticas. A primeira edição de 2024, no dia 20 de março, às 18h, traz como convidado o poeta Douglas de Almeida. O escritor falará sobre a nova edição de seu livro “Não sei se sou”, que foi relançado recentemente no MAM – Museu de Arte Moderna da Bahia, e sua trajetória literária, sob mediação de Cacau Novaes. Haverá ainda uma sessão de autógrafos. Durante o evento, acontece um recital de poesia com a participação de Alvorecer Santos, Ametista Nunes, Cacau Novaes, Jeane Sánchez, Jovina Souza, Luís Aseokaynha, Marcos Peixe, Ramon Argolo e Rosana Paulo. As apresentações musicais serão com Di Carvalho e Evandro Correia, abrilhantando a noite com canções autorais. Realizado mensalmente no Goethe-Institut Salvador, o Nosso Sarau tem produção e curadoria de Cacau Novaes, com colaboração de Alvorecer Santos e Marcos Peixe. A entrada é gratuita. Sob

Maravilhas do conto português para o leitor brasileiro

Depois de  A cidade de Ulisses , Teolinda Gersão, uma das mais importantes contistas e romancistas da literatura portuguesa contemporânea, lança agora no Brasil  Alice e outras mulheres , uma antologia de contos organizada por Nilma Lacerda. Se, em  A cidade de Ulisses , está Lisboa no poema épico de Homero, em "Alice in Thunderland", conto que fecha a nova antologia, a escritora portuguesa revisita a personagem de Lewis Carrol, registrando a sua versão da história: “Vou repor a verdade e contar eu mesma a história, tal como agora a contei, em pensamento”. O livro conta com textos já publicados por Teolinda ao longo de seus 40 anos de trajetória literária, no entanto, esta organização publicada pela editora Oficina Raquel é inédita para o público brasileiro. Por trás da escolha dos contos que compõem a seleta, está o objetivo de mostrar todo o poder do feminino, ainda que muitas vezes silenciado e, neste sentido, nada melhor do que uma das mais célebres personagens da nossa l

Morro de São Paulo recebeu artistas e turistas em festival neste fim de semana

Durante o fim de semana, de quinta (15) a sábado (17), Morro de São Paulo realizou a 7ª edição do seu festival em um dos destinos mais procurados por turistas do Brasil e de outros países. Vina Calmon - Cheiro de Amor - Foto: Cacau Novaes O evento aconteceu na Segunda Praia, de forma gratuita, e contou com shows de diversos artistas. No primeiro dia do evento (15), passaram pelo palco Dayane Félix, Afrocidade e Cheiro de Amor. Já na sexta-feira (16), os shows foram de Batifun, Negra Cor e Jau. No último dia (17), somente Degê conseguiu se apresentar, devido às fortes chuvas que caíram na ilha, sendo cancelada a programação, que ainda tinha em sua grade os shows de Luiz Caldas e Filhos de Jorge. Jau - Foto: Divulgação Mesmo com esse imprevisto, o Festival de Morro de São Paulo foi um sucesso, com a presença de um grande público, que também curtiu os atrativos naturais da ilha. Adelmo Casé - Negra Cor - Foto: Divulgação Confiram mais vídeos no Instagram de Cacau Novaes : Ver es