Pular para o conteúdo principal

Maravilhas do conto português para o leitor brasileiro

Depois de A cidade de Ulisses, Teolinda Gersão, uma das mais importantes contistas e romancistas da literatura portuguesa contemporânea, lança agora no Brasil Alice e outras mulheres, uma antologia de contos organizada por Nilma Lacerda.


Se, em A cidade de Ulisses, está Lisboa no poema épico de Homero, em "Alice in Thunderland", conto que fecha a nova antologia, a escritora portuguesa revisita a personagem de Lewis Carrol, registrando a sua versão da história: “Vou repor a verdade e contar eu mesma a história, tal como agora a contei, em pensamento”.

O livro conta com textos já publicados por Teolinda ao longo de seus 40 anos de trajetória literária, no entanto, esta organização publicada pela editora Oficina Raquel é inédita para o público brasileiro. Por trás da escolha dos contos que compõem a seleta, está o objetivo de mostrar todo o poder do feminino, ainda que muitas vezes silenciado e, neste sentido, nada melhor do que uma das mais célebres personagens da nossa literatura e imaginário para nomear esta recolha.

“Big Brother Isn’t Watching You”, originalmente presente no livro Histórias de ver e andar, é um dos contos escolhidos a dedo para ser publicado em Alice e outras mulheres. Nele, Teolinda Gersão critica os valores impostos pela mídia e como ela é capaz de influenciar a vida das pessoas. 
“Mas estávamos preparadas. Tinhamos emagrecido, comprado roupa nova, mudado a cor do baton e da sombra para os olhos. Eles aí estavam, carros, altifalantes, luzes, locutores, fotógrafos, jornais. Tinha chegado a nossa vez de estar no mundo. Podiamos abrir a porta e entrar.”
Além do conto mencionado acima, a antologia é composta por: "As laranjas", "Uma orelha", "Bilhete de avião para o Brasil", "A dedicatória", "Quatro crianças, dois cães e pássaros", "A velha" (Histórias de ver e andar), "A mulher que prendeu a chuva", "Se por acaso ouvires esta mensagem", "Um casaco de raposa vermelha" (A mulher que prendeu a chuva e outras histórias), "O meu semelhante", "A mulher cabra e a mulher peixe", "Pranto e riso da noiva assassina", "Vizinhas", "Alice in Thunderland" (Prantos, amores e outros desvarios), "O mensageiro" (O mensageiro e outras histórias com anjos), "História mal contada", "A terceira mão" (Atrás da porta e outras histórias).

Título: Alice e outras mulheres

Autora: Teolinda Gersão

Organização: Nilma Lacerda

Preço: R$54,90, 172 p.

Formato:  14 x21

ISBN: 9786586280166

Alice no país das maravilhas foi publicado em 4 de julho de 1865, e de lá para cá, a personagem aparece em várias edições e mesmo revisitações na literatura. Em virtude do isolamento social causado pela Covid-19, a turnê da autora foi adiada para 2021, mas a editora ofereceu aos leitores um encontro virtual com Teolinda Gersão, que conversou com a organizadora do livro, Nilma Lacerda, a professora de Literatura Portuguesa Marcia Manir, e mediação de Taty Leite, na mesma data de publicação do clássico de Lewis Carroll, 4 de julho. Clique aqui e assista o vídeo do lançamento virtual.

Sobre a autora

Teolinda Gersão estudou nas Universidades de Coimbra, Tubingen e Berlim, foi leitora de Português na Universidade Técnica de Berlim e professora catedrática de Literatura Alemã e de Literatura Comparada na Universidade Nova de Lisboa.

Teolinda Gersão - Foto: Homem Cardoso

Viveu na Alemanha e no Brasil (São Paulo) e passou algum tempo em Moçambique.
Foi escritora-residente na Universidade da California, em Berkeley.

É autora de 17 livros de ficção, e está traduzida em 20 países.

Recebeu alguns dos mais importantes prémios literários portugueses, entre os quais por duas vezes o Prémio de Ficção do Pen Clube, o Grande Prémio de Romance e Novela da APE, o Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco, o Prémio Vergílio Ferreira, o Prémio Fernando Namora, e fez parte da short list do Prémio Europeu de Romance Aristeion.
Em 2018 recebeu o Albert Marquis Lifetime Achievement Award.

Pela Oficina Raquel, publicou A cidade de Ulisses e  agora em 2020, o ano que completou 80 anos de idade de 40 de carreira, lança Alice e outras mulheres.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

Nêgo Jhá é uma banda do interior da Bahia, da cidade de Iguaí, situada no Centro Sul do estado, criada em janeiro de 2018, por Guilherme Santana e Gabriel Almeida, através de u ma simples brincadeira entre amigos, que resultou em um trabalho profissional.  A banda já contabiliza mais de 30 milhões de visualizações no YouTube com suas músicas, entre elas, destaca-se “Cabaré”, música de trabalho gravada por artistas famosos, que compartilharam vídeos, que viralizaram na internet, ouvindo e dançando o hit do momento em todo o Brasil. Até no BBB21 da Rede Globo já tocou a música dos garotos. Foto: Divulgação Confira abaixo a entrevista com os integrantes da Nego Jhá: Cacau Novaes - Como surgiu a ideia de criar Nego Jhá? Como tudo começou?  Nego Jhá -  Através de uma brincadeira entre mim, Guilherme, e meu amigo Gabriel, que toca teclado.  No início não tínhamos em mente de que isso se tornaria algo profissional, pensamos apenas em gravar por diversão e resenha. Cacau Novaes -  É uma dupl

Festival em Morro de São Paulo terá shows de Luiz Caldas, Jau, Cheiro de Amor, entre outras atrações

Após o Carnaval, Morro de São Paulo, Bahia, realiza, entre os dias 15 e 17 de fevereiro, a 7ª edição do Festival de Morro de São Paulo, reunindo grandes atrações para quem quer curtir um dos melhores destinos turísticos do verão brasileiro. Foto: Reprodução Artistas como Luiz Caldas, Jau, Filhos de Jorge, Afrocidade, Cheiro de Amor, Negra Cor e Batifun passarão pelo palco montado na Segunda Praia. De acordo com a organização do evento, será “Um festival comprometido em tornar este evento ainda mais ecologicamente responsável através da neutralização de carbono. Este não é apenas um festival, é uma vibração consciente e inesquecível para fechar o Verão com chave de ouro”.

Morro de São Paulo recebeu artistas e turistas em festival neste fim de semana

Durante o fim de semana, de quinta (15) a sábado (17), Morro de São Paulo realizou a 7ª edição do seu festival em um dos destinos mais procurados por turistas do Brasil e de outros países. Vina Calmon - Cheiro de Amor - Foto: Cacau Novaes O evento aconteceu na Segunda Praia, de forma gratuita, e contou com shows de diversos artistas. No primeiro dia do evento (15), passaram pelo palco Dayane Félix, Afrocidade e Cheiro de Amor. Já na sexta-feira (16), os shows foram de Batifun, Negra Cor e Jau. No último dia (17), somente Degê conseguiu se apresentar, devido às fortes chuvas que caíram na ilha, sendo cancelada a programação, que ainda tinha em sua grade os shows de Luiz Caldas e Filhos de Jorge. Jau - Foto: Divulgação Mesmo com esse imprevisto, o Festival de Morro de São Paulo foi um sucesso, com a presença de um grande público, que também curtiu os atrativos naturais da ilha. Adelmo Casé - Negra Cor - Foto: Divulgação Confiram mais vídeos no Instagram de Cacau Novaes : Ver es

Festival de Morro de São Paulo suspende programação deste sábado (17)

Devido às fortes chuvas que atingem Morro de São Paulo na noite deste sábado (17), o Festival de Morro de São Paulo anunciou a suspensão da programação do dia, visando garantir a segurança do público. Com isso, as apresentações de Luiz Caldas e Filhos de Jorge foram canceladas. Os dias anteriores foram marcados pelo público lotando a Segunda Praia para os shows de Dayane Felix, Afrocidade, Cheiro de Amor, Batifum, Negra Cor e Jau. Hoje, o cantor Degê, fez o show de abertura da noite, antes da suspensão.

Depois de participar da Flita, Cacau Novaes é presença confirmada na Flisba

Depois de participar da Flita - Festa Literária de Aratuípe, que ocorreu no último fim de semana (24 a 26/11), o poeta e escritor José Carlos Assunção Novaes, mais conhecido pelo nome artístico de Cacau Novaes, é presença confirmada na Flisba - Festa Literária do Sul, neste fim de semana 1º e 2 de dezembro. O escritor tem passado por diversas festas literárias, a exemplo de: Flipelô - Festa Literária Internacional do Pelourinho; Flipf - Festa Literária Internacional de Praia do Forte; Flilençóis - Festa Literária Internacional de Lençóis; Flica - Festa Literária Internacional de Cachoeira, Flita - Festa Literária de Aratuípe; e, agora, na Flisba - Festival Literário Sul Bahia. No Flisba, o autor lança o seu romance Marádida, participa do Sofá em Prosa e é um dos jurados do Slam Magnus Vieria, em homenagem ao saudoso artista iguaiense. Já no sábado, dia 02/12, às 16h, Cacau Novaes participa do Festival de Contação de Histórias do Coletivo Ser de Arte, com o seu livro infanto-juvenil &qu