Pular para o conteúdo principal

Ciro Pessoa, músico fundador dos Titãs, morre após contrair Covid-19

Músicos da banda usaram as redes sociais para lamentar morte do amigo. Ciro estava em tratamento contra câncer quando foi diagnosticado com coronavírus.

Ciro Pessoa, um dos fundadores da banda Titãs, morreu na madrugada desta terça-feira (5), aos 62 anos. A informação foi confirmada por familiares e amigos como Branco Mello e Sérgio Britto, que junto a Tony Bellotto, ainda fazem parte da formação do grupo.

Ciro Pessoa, fundador do Titãs, morre após contrair Covid-19 - Foto: Reprodução/Instagram

Segundo Isabela Johansen, ex-mulher do músico, Ciro "estava lutando contra o câncer e nas indas e vindas ao hospital, acabou contraindo Covid-19. Foi internado, mas infelizmente não resistiu".

"Estou profundamente triste com a partida nessa madrugada do meu irmão, músico, poeta e primeiro grande parceiro, Ciro Pessoa. Foi dele a ideia de reunir os amigos compositores no começo dos anos 80 pra fazermos uma banda de rock. E assim formamos os Titãs."

"Siga em paz, querido Ciro. Descansa meus olhos, sossega minha boca, me enche de luz …", escreveu Branco, citando o trecho de "Sonífera lha", uma das músicas do Titãs que tem Ciro entre os compositores. Ele também assina "Homem primata" junto a Tony Bellotto, Carlos Barmak, Branco Mello e Marcelo Fromer.

Ciro Pessoa, em foto de dezembro de 2017 — Foto: Van Campos/FotoArena/Estadão Conteúdo/Arquivo

Além das composições com os Titãs, Ciro tem mais de 100 obras assinadas por ele, segundo o Ecad. O trabalho mais recente do músico foi com a banda Flying Chair.

"O corpo será cremado e assim que essa fase chegar ao fim faremos um grande show em sua homenagem, pois é isso o que ele queria", afirmou Isabela.

"Seguimos com força, união e sabedoria. Ciro encontrou sua Sonífera Ilha e deixou para nós um mar de alegria e amor. E, claro, o maior presente que eu poderia sonhar."







…e as notícias ruins não cessam, não param de chegar, a cada manhã um golpe, a destruição do que foi construído, as mortes em sucessão velocíssima. Acabo de saber da morte de Ciro Pessoa, membro importante na formação dos Titãs, amigo constante de convivência e conversação na época. São Paulo era nossa cidade, espaço-lugar para nossa criação e trânsito. Frequentávamos a padaria CPL, ali na João Moura; Ciro sempre com seu casaco verde de brim, Jornal da Tarde embaixo do braço. Ensaiávamos todos os dias e juntos fazíamos os backing vocais: eu, Ciro, Branco, Paulo, Arnaldo, Britto. Algumas das músicas mais emblemáticas dessa fase do nosso repertório tinham sua participação: Sonífera Ilha, Baby Índio, Homem Primata, Dona Nenê. Outras, nunca gravadas, mas tocadas em todos os buracos onde nos apresentamos, fazem parte do ideário new-wave que marcou a pré-história do que vieram a ser os Titãs no Iê-iê: Lilian, a Suja; Johny Cristel… Ele se foi, a vida continua, a música é eterna, e a tristeza me invade. Ciro Pessoa, pessoa única, marcou minha vida.
Uma publicação compartilhada por Nando Reis (@nandoreis) em







Uma publicação compartilhada por Paulo Miklos (@miklospaulo) em


FONTE: G1

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cacau Novaes entrevista Nego Jhá: 'Vem pro cabaré'

Nêgo Jhá é uma banda do interior da Bahia, da cidade de Iguaí, situada no Centro Sul do estado, criada em janeiro de 2018, por Guilherme Santana e Gabriel Almeida, através de u ma simples brincadeira entre amigos, que resultou em um trabalho profissional.  A banda já contabiliza mais de 30 milhões de visualizações no YouTube com suas músicas, entre elas, destaca-se “Cabaré”, música de trabalho gravada por artistas famosos, que compartilharam vídeos, que viralizaram na internet, ouvindo e dançando o hit do momento em todo o Brasil. Até no BBB21 da Rede Globo já tocou a música dos garotos. Foto: Divulgação Confira abaixo a entrevista com os integrantes da Nego Jhá: Cacau Novaes - Como surgiu a ideia de criar Nego Jhá? Como tudo começou?  Nego Jhá -  Através de uma brincadeira entre mim, Guilherme, e meu amigo Gabriel, que toca teclado.  No início não tínhamos em mente de que isso se tornaria algo profissional, pensamos apenas em gravar por diversão e resenha. Cacau Novaes -  É uma dupl

Cacau Novaes lança, neste sábado (6), seu novo livro: “Eu só queria ver o pôr do sol”

O poeta e escritor Cacau Novaes lança, neste sábado (6), às 16h, o seu novo livro de poemas, intitulado “Eu só queria ver o pôr do sol”, pela Editora Mondrongo. O evento acontece em Salvador, na Cervejaria ArtMalte, na Rua Feira de Santana, 354, Rio Vermelho. Neste seu novo livro, Cacau Novaes se debruça sobre a terra arrasada pelas guerras, as mazelas da humanidade, os problemas sociais das grandes cidades, como os esgotos a céu aberto, entro outros. Poesia que nasce no seio de onde vem o cheiro de miséria e a desigualdade. Outros cinco autores também lançam, além de Cacau Novaes, os seus livros, no mesmo dia e local, em uma grande celebração literária: André Lemos, Antônio Brasileiro, Clara Pamponet, Douglas de Almeida e Vinícius Cardona. Segundo Gustavo Felicíssimo, editor da Mondrongo, será um “esquenta” para a Bienal do Livro da Bahia, que acontece de 26 de abril a 1º de maio no Centro de Convenções da Bahia. Durante a bienal, no Espaço das Editoras baianas, haverá um segundo mo

New face da 40 Graus Models, Ana Clara Rios passa férias na Bahia

Ana Clara Rios, new face da 40 Graus Models, agência de Sérgio Mattos, está na Bahia para passar as férias com a família e amigos.  Ana Clara Rios - Foto: Divulgação Pensando em sua carreira, Ana Clara, que é de Iguaí, logo estará de volta ao Rio de Janeiro, para concluir o curso de atriz na escola de teatro Nu Espaço. Além de brilhar como modelo, com certeza também vai arrasar no palco e nas telas. Ana Clara Rios - Fotos: Divulgação / Montagem: cacaunovaes.com Sobre a 40 Graus Models Fundada em 2004, a 40 Graus Models é uma das principais agências do Brasil e conta com um elenco de mais de duzentos modelos, incluindo top models como Nayara Oliver, Anne de Paula, Mahany, Paula La Croix, Gabriel Sihnel, Jullio Reis, Brayan Lucas, entre outros. E o prestígio vai além do Brasil: no ano de 2005, a conceituada revista americana V Magazine indicou a 40 Graus Models como uma das principais agências de modelos do cenário internacional.  Sérgio Mattos e Ana Clara Rios na 40º Models - Foto:

Nosso Sarau inicia encontros de 2024 com Douglas de Almeida e convidados

O Nosso Sarau volta às atividades, iniciando os encontros deste ano com muita poesia, música, bate papo literário, entre outras atividades artísticas. A primeira edição de 2024, no dia 20 de março, às 18h, traz como convidado o poeta Douglas de Almeida. O escritor falará sobre a nova edição de seu livro “Não sei se sou”, que foi relançado recentemente no MAM – Museu de Arte Moderna da Bahia, e sua trajetória literária, sob mediação de Cacau Novaes. Haverá ainda uma sessão de autógrafos. Durante o evento, acontece um recital de poesia com a participação de Alvorecer Santos, Ametista Nunes, Cacau Novaes, Jeane Sánchez, Jovina Souza, Luís Aseokaynha, Marcos Peixe, Ramon Argolo e Rosana Paulo. As apresentações musicais serão com Di Carvalho e Evandro Correia, abrilhantando a noite com canções autorais. Realizado mensalmente no Goethe-Institut Salvador, o Nosso Sarau tem produção e curadoria de Cacau Novaes, com colaboração de Alvorecer Santos e Marcos Peixe. A entrada é gratuita. Sob

Os morcegos estão comendo os mamãos maduros, de Gramiro de Matos

Sim, morcegos de fato comem mamãos, ou mamões maduros, mas, não é sobre morcegos nem sobre mamões o segundo e que eu saiba, derradeiro romance de Gramiro de Matos, ou Ramiro de Matos, ou Ramirão Ão Ão, cujo subtítulo, é,”O besta y a doida”, é sobre... Bem, é sobre lombrigas e angústia, sobre o que fazer da vida, seja você um viadinho suburbano, uma filha de deputado, um bêbado amante da filha do deputado, um maconheiro, um pintor ensandecido, um atropelado, ou duas belas jovens pegando carona na Rio-Bahia. O livro é sobre o belo e o horroroso da vida, que você pode passar com dor ou com muita dor. A escolha é sua, ou talvez não, mas, porém, contudo e entretanto, “O besta y a doida”, que mistura português com espanhol, James Joyce ( seu Jaime, para os chegados) com Gregório de Matos, os tupis e os atlantes, não é um livro triste, pelo contrário, é um livro até esperançoso, Macunaíma dos anos 70,embora o autor prefira Oswald a Mário de Andrade, mas o que sabe um autor do livro que